Tocantins volta a registrar chuva depois de vários meses de estiagem


22/09/2017 - 07:01
Fonte: Portal Ativo
Autor: Portal Ativo
Link Fonte

 

Após vários meses de estiagem, voltou a chover no Tocantins, nesta quinta-feira, 21. De acordo com o núcleo de meteorologia da Universidade Estadual do Tocantins, foram registradas pancadas de chuva em algumas cidades do sul do estado como Formoso do Araguaia e da região oeste como Lagoa da Confusão.

Em Palmas, onde não chove há mais de 130 dias, era esperado chuva para esta quarta-feira, 20, mas a previsão não se confirmou, deixando os moradores da capital preocupados. A última vez que choveu na cidade foi no dia 13 de maio. Nesta quinta, o dia amanheceu nublado, mas durante a tarde, o sol voltou com intensidade. A temperatura mínima prevista é de 26º e a máxima, de 38º.

Segundo a Unitins, em Formoso do Araguaia, choveu 2.4 mm. Já em Pium, foram 1.2 mm. Além destes dois municípios, também foram registradas pancadas de chuva, inclusive com relâmpagos, em Cristalândia e Lagoa da Confusão. Os moradores usaram as redes sociais para comemorar. "Chuvinha boa", comentou Junior Veras, de Formoso, em seu perfil no Facebook. "Chuva sua linda você voltou", escreveu Clesio Freitas, residente em Lagoa da Confusão. 

De acordo com o ClimaTempo, uma
 mudança na circulação dos ventos sobre a Região Norte do Brasil começa a favorecer a entrada de mais umidade na parte oeste do Tocantins. Essa entrada de umidade juntamente com a temperatura muito elevada, perto dos 40°C, deve favorecer a formação de algumas nuvens carregadas. 

"É importante reforçar que a chuva prevista ainda é muito localizada e rápida e não reverte quadro de seca", explica a meteorologista Josélia Pegorim.

A estiagem prolongada colabora para a ocorrência de queimadas. O Tocantins é um dos estados com maior número de focos de calor. Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), já são mais de 15 mil incêndios, quase a metade deles registrada nas primeiras semanas de setembro. Além dos transtornos para a saúde, o fogo também tem causado destruição. No norte do estado, um homem teve metade do corpo queimado ao tentar apagar um incêndio que matou mais de mil animais e destruiu mais de 30 mil hectares de vegetação. O Ministério Público investiga o caso

Após vários meses de estiagem, voltou a chover no Tocantins, nesta quinta-feira, 21. De acordo com o núcleo de meteorologia da Universidade Estadual do Tocantins, foram registradas pancadas de chuva em algumas cidades do sul do estado como Formoso do Araguaia e da região oeste como Lagoa da Confusão.

Em Palmas, onde não chove há mais de 130 dias, era esperado chuva para esta quarta-feira, 20, mas a previsão não se confirmou, deixando os moradores da capital preocupados. A última vez que choveu na cidade foi no dia 13 de maio. Nesta quinta, o dia amanheceu nublado, mas durante a tarde, o sol voltou com intensidade. A temperatura mínima prevista é de 26º e a máxima, de 38º.

Segundo a Unitins, em Formoso do Araguaia, choveu 2.4 mm. Já em Pium, foram 1.2 mm. Além destes dois municípios, também foram registradas pancadas de chuva, inclusive com relâmpagos, em Cristalândia e Lagoa da Confusão. Os moradores usaram as redes sociais para comemorar. "Chuvinha boa", comentou Junior Veras, de Formoso, em seu perfil no Facebook. "Chuva sua linda você voltou", escreveu Clesio Freitas, residente em Lagoa da Confusão. 

De acordo com o ClimaTempo, uma
 mudança na circulação dos ventos sobre a Região Norte do Brasil começa a favorecer a entrada de mais umidade na parte oeste do Tocantins. Essa entrada de umidade juntamente com a temperatura muito elevada, perto dos 40°C, deve favorecer a formação de algumas nuvens carregadas. 

"É importante reforçar que a chuva prevista ainda é muito localizada e rápida e não reverte quadro de seca", explica a meteorologista Josélia Pegorim.

A estiagem prolongada colabora para a ocorrência de queimadas. O Tocantins é um dos estados com maior número de focos de calor. Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), já são mais de 15 mil incêndios, quase a metade deles registrada nas primeiras semanas de setembro. Além dos transtornos para a saúde, o fogo também tem causado destruição. No norte do estado, um homem teve metade do corpo queimado ao tentar apagar um incêndio que matou mais de mil animais e destruiu mais de 30 mil hectares de vegetação. O Ministério Público investiga o caso